• Be Brasil
  • Inovação e tecnologia

jan 12, 2017
Inovação e tecnologia

Brasil prepara vacina contra dengue para 2019

O Instituto Butantã assinou um contrato de 97 milhões de reais com o BNDES para administrar testes clínicos de um protótipo de vacina contra a dengue. Centros de testes foram instalados em 13 cidades nas cinco regiões brasileiras, com o propósito de imunizar voluntários e testar a eficiência da vacina.

 

Em janeiro de 2017, quase 25% dos 17 mil voluntários receberam a vacina. Na fase de testes, dois terços dos voluntários receberão a vacina, e o restante receberá um placebo. Após os testes, a vacina ainda tem de ser aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O orçamento total de 97 milhões de reais virá do Fundo de Tecnologia do BNDES.

 

O orçamento ainda vai permitir a finalização de um novo prédio – além do equipamento – para a produção de 30 milhões de vacina por ano. Se aprovada, a vacina vai beneficiar cerca de 180 milhões de brasileiros, ou seja, 90% da população nacional. A vacina será distribuída no país inteiro – com prioridade para regiões mais afetadas pela dengue, com condições sanitárias precárias.

 

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se prolifera em água limpa e parada – endêmico a regiões tropicais. A incidência mundial da dengue aumentou exponencialmente nos últimos 30 anos, chegando a 390 milhões de casos, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

Até setembro, o Brasil teve 1,4 milhão de casos da doença, com 563 mortes. Além do investimento em testes para uma vacina, o BNDES também aprovou 23 milhões de dólares para a Fundação Oswaldo Cruz, que produz kits para o diagnóstico rápido de zika, dengue e chikungunya – todos transmitidos pelo mesmo mosquito. Essas inovações beneficiam não só o Brasil, mas todos os países afetados.

 

Uma outra vacina contra a dengue foi lançada pela francesa Sanofi Pasteur em julho. Chamada Denguevaxia, a imunização foi aprovada pela Anvisa em dezembro e custa entre 132,76 e 138,53 reais. Aprovada para pessoas entre 9 e 45 anos, ela deve ser administrada em três doses consecutivas e tem uma taxa de sucesso de 66%. Até agora, é a única vacina disponível no mundo.


O Instituto Butantã fica em São Paulo, e é famoso por seu trabalho com animais venenosos. A vacina contra dengue do instituto é resultado de inúmeras parcerias internacionais com o Instituto Nacional de Saúde dos EUA, o Instituto Adulfo Lutz, a Escola de Medicina da USP e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.