• Be Brasil
  • Alimentos e bebidas

mar 09, 2018
Alimentos e bebidas

Apex-Brasil leva empresas brasileiras a evento de piscicultura nos EUA

No dia 11 de março, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) vai participar de um dos eventos de piscicultura do mundo, o Seafood Expo North America, em Boston, no estado de Massachusetts. Milhares de profissionais e empresas do setor estarão presentes e, com o apoio da Apex-Brasil, 16 empresas brasileiras figuram entre os expositores durante os três dias de evento.

O Seafood Expo é uma oportunidade única para se fazer contatos e expandir os negócios internacionalmente – somente no ano passado, mais de 22.600 profissionais participaram do evento. Os Estados Unidos são o país que mais importa pescado e frutos do mar do Brasil. A edição 2017 do salão gerou mais de 194 milhões de dólares em negócios para as empresas brasileiras participantes. Este ano, a meta é ultrapassar os 200 milhões de dólares.

Mais de 1.850 empresas vão expor os mais novos produtos, equipamentos e serviços do setor. Durante os três dias do salão, a agenda inclui uma série de conferências e painéis com alguns dos nomes mais reconhecidos do setor, como o brasileiro Márcio Castro de Souza, especialista sênior da área de comércio pesqueiro da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO. Ele vai participar de um painel sobre pesca ilegal, não-documentada e não-regulada.

A indústria pesqueira brasileira está em franca ascensão, com uma expectativa de crescimento entre 7 e 10% em relação ao ano passado. O setor movimenta, em média, mais de 4,3 bilhões de reais e gera mais de 1 milhão de empregos.

A Apex-Brasil tem trabalhado para o crescimento da participação brasileira no mercado internacional de pescado e frutos do mar. Para Igor Brandão, gerente de agronegócios da agência, o Seafood Expo North America é uma oportunidade excelente para a expansão dos produtores nacionais. “Nós temos um produto competitivo e o mercado americano já é nosso maior comprador”, ele diz. “Nós acreditamos que podemos fortalecer nossa posição no mercado, além de aumentar o consumo doméstico e realizar treinamentos para preparar a internacionalização de nossas empresas”.

A indústria pesqueira local tem registrado crescimento a cada ano, tendo os estados do Paraná, Rondônia e São Paulo como líderes no setor. Ao mesmo tempo, o sul e o norte do país continuam expandindo sua participação no mercado.

No sul e sudeste, predomina a produção de tilápia (que responde por mais da metade da produção nacional de pescado) e lagosta. Já no norte, especialmente em Rondônia, culturas como as do tambaqui, pirarucu e tambacu tem maior importância.